• Yuri Ribeiro

Semana Fashion Revolution 2020 conta com programação de debates online

Sob o contexto da pandemia que está mudando o mundo, o movimento aborda, de 20 a 26 de abril, os temas consumo, composição das roupas, condições de trabalho e ações coletivas

Dentro do contexto de pandemia que está mudando o mundo, a Semana Fashion Revolution 2020 este ano se reinvente e acontece de forma totalmente digital. O evento é uma iniciativa do movimento que atua há 5 anos no país estabelecido como Instituto Fashion Revolution Brasil. Nessa edição o movimento questiona em suas atividades, de 20 a 26 de abril, a segurança dos trabalhadores da moda.

A campanha de 2020 da Semana Fashion Revolution aborda quatro temas: consumo, composição, condições de trabalho e ações coletivas. Esses temas, que aprofundam a narrativa do movimento, nunca se mostraram tão importantes quanto nesse momento de desafios que a pandemia está nos submetendo. Mais do que nunca precisamos questionar o modelo de consumo o qual a sociedade como um todo está imersa, e quais os impactos que a cultura da descartabilidade têm sobre trabalhadores e o meio ambiente. Mais do que nunca precisamos nos interessar sobre a composição das roupas, e o que isso representa na rotina de todos os trabalhadores que manuseiam químicos diariamente, impactando na sua saúde, e também na saúde do solo e das águas.

É essencial atentar principalmente para os mais vulneráveis, que na moda, é falar sobre quem ocupa as pontas: as pessoas que fazem nossas roupas. A crise decorrente da Covid-19 está prejudicando milhões de trabalhadores em todo o mundo, apresentando a dura realidade onde muitos dependem da produção diária para se alimentar.

Seguindo a determinação do Ministério da Saúde Federal e do Governo do Estado local, para conter a disseminação do Covid-19, o Fashion Revolution não irá realizar nenhuma atividade presencial e incentiva que, neste momento, a garantia da segurança (de saúde e financeira) de todos os trabalhadores do setor, seja a prioridade, tanto para os empresários, quanto para o governo e sociedade civil.

PROGRAMAÇÃO

A programação, que acontece simultaneamente em mais de 100 países, será totalmente digital e irá promover o debate sobre como podemos revolucionar a história da moda rumo à um setor mais transparente, ético e limpo.

No perfil do Instagram do Fashion Revolution Brasil (@fash_rev_brasil), mais de 60 parceiros irão contribuir para o debate com participações em vídeos e lives. São eles pesquisadores, educadores, trabalhadores da cadeia produtiva, criativos, agências de tendências, ONGs, imigrantes, políticos, ambientalistas e cooperativas de periferias. Dentre alguns dos destaques estão o Sistema B, Senai, Repórter Brasil, ONU Mulheres, Akatu e CUT.

A programação contará com lives, que acontecerão diariamente, de 20 a 26 de abril, no instagram do Fashion Revolution Brasil e em outros perfis e plataformas. Confira abaixo.

20/04 às 19 horas – Abertura e Futuro do Consumo Helio Mattar, presidente do Instituto Akatu Fernanda Simon, diretora executiva do Fashion Revolution Brasil

21/04 às 19 horas – Educar para Revolucionar Yamê Reis, coordenadora IED Rio Eloisa Artuso, diretora educacional Fashion Revolution Brasil

22/04 às 19 horas – Plástico, oceanos e a moda: Qual a relação? Paulina Chamorro, jornalista ambiental Gabriela Machado, Roupartilhei

23/04 às 19 horas – Qual é a situação dos trabalhadores do Brasil durante a pandemia? Carla Aguilar, do CAMI – Centro de Apoio e Pastoral do Migrante Iara Vidal, representante Fashion Revolution Brasília

24/04 às 11 horas – Ideias para adiar o fim do mundo Ailton Krenak – líder indígena, ambientalista e escritor Iara Vidal, representante Fashion Revolution Brasília

24/04 às 19 horas – 7 anos após Rana Plaza – moda, escravidão Leonardo Sakamoto – Repórter Brasil Eloisa Artuso, diretora educacional Fashion Revolution Brasil

25/04 às 19 horas – Ação Coletiva: como a sociedade civil pode se organizar por um bem comum Maristella Ianuzzi , ONU Mulheres Marina de Luca, Moda Limpa

26/04 às 19 horas – A moda que queremos Lilyan Berlim, professora e escritora Fernanda Simon, diretora executiva do Fashion Revolution Brasil

Também acontecerão mais de 90 ações online, articuladas por 65 representantes voluntários em parceria com atores da cena local. Acompanhe a programação completa no hotsite Semana Fashion Revolution.