• Yuri Ribeiro

START.doc

START.doc. Nomeei o arquivo desse texto dessa forma. O primeiro dentro da pasta “site”, recém criada na minha área de trabalho. A vida é sobre ciclos. E esse vai ser mais um start, em mais um deles.

Estamos passando por um momento que veio pra provar que, por mais planners que a gente preencha, e por mais metas que a gente trace na virada no ano, na real, a gente não tem controle mesmo de nada.

Esse cantinho aqui que vos apresento é um sonho antigo. Idealizo e penso nele há bastante tempo. Botei no meu planner de metas para 2020. E sim, virei o ano pensando nele. Havia planejado apresentar a vocês de uma outra forma e em um outro momento. Mas, assim como todo mundo, eu senti a reviravolta que o cenário nos impôs.

“Mas, se não era o momento, porque apresentar ele agora, Yuri? É realmente a hora de abrir esse canal de comunicação aqui?” Sim! Para mim, essa decisão me diz muito sobre ciclos.

Desde o ano passado, me pego em uma inquietude constante. Ciclos foram encerrados para que ciclos novos fossem iniciados. Foram tantos altos e baixos – como nunca antes – que em algum momento eu senti que me desconectei de mim. Senti que precisava partir para uma nova busca, dessa vez uma busca interior, com um olhar cuidadoso para dentro de mim. Quando me dei conta disso, senti um frio da barriga por me achar totalmente perdido enquanto estava em volto por pessoas tão conectadas a si mesmo. Essa sensação demorou até eu perceber que uma hora ou outra a fase do autoconhecimento chega para todos. Se não chegou para você, ainda vai chegar. Se já chegou, que privilégio o seu!

“Mas como pode alguém que sempre soube da sua essência, sempre identificou seus propósitos, estar perdido e desconectado de si mesmo?”, me perguntava dia e noite. Depois de tanto procurar respostas para essa questão, passei a compreender que autoconhecimento está relacionado a escolhas e caminhos. Que eu havia trilhado alguns caminhos, que me levaram longe, mas que eu precisava fazer novas escolhas para traçar outros. E nessa jornada, eu não precisaria ter que abrir mão da minha essência e dos meus propósitos (a terapia me ajudou aqui nesse dilema, um salve a minha terapeuta!). Ufa, respirei aliviado.

Bom, não encerrei e nem comecei todos os ciclos que queria e ainda quero (a pandemia me fez esperar). Ainda estou bem longe (e como estou), da nirvana do autoconhecimento (e na real? acho que nunca alcançaremos essa plenitude! é possível será?). Mas, enxerguei o que deve ser feito e estou seguindo decidido nas escolhas.

“Mas o que ciclos e um site tem a ver? Acorda, estamos passando por uma pandemia mundial e você vem me falar disso?!”. Quer um momento mais propício para encerrar e começar ciclos que nem esse? Primeiro: faço o anúncio desse espaço no dia do meu aniversário, 10 de abril, em um novo começo de ciclo pessoal. Segundo: não sairemos desse cenário mundial da forma como entramos porque ciclos precisaram ser encerrados e novos ciclos estarão pronto para começar. E, por fim, terceiro: no meio dessa quarentena toda eu senti a necessidade de expor o que eu penso (quem sabe até pra inspirar e ajudar) de alguma forma. Tem muitas questões da minha área surgindo e eu gosto mesmo é do debate. Por isso antecipei os planos e, como ele já estava quase pronto, cá estou com esse site.

Eu já queria chegar aqui prometendo a vocês uma série de postagens com textos que já deveriam estar prontos para entrar no ar. Mas não, vai ser algo natural, como eu sinto que deve ser. Aqui eu vou abrir meu livro (mais ainda!) da vida. Falar do que eu acredito, da forma que eu acredito e para quem quiser embarcar comigo. Não sei ainda como vai ser. Mas, te convido a vir comigo. O mínimo que vai acontecer é a gente trocar uma ideia. Topa?

Ilustrei esse primeiro post com as fotos de um ensaio que eu fiz em Paris, em outubro de 2019. Não são as fotos que imaginei para a primeira postagem, mas acredito que nada é por acaso. Então conclui que sim, deveriam ser elas. Escolhi porque elas traduzem a felicidade que eu estava durante um determinado ciclo. É exatamente a mesma que eu estou sentindo ao começar esse aqui.

Por hoje acho que é isso. Deixo meu obrigado a você que chegou até aqui junto comigo. E também um seja bem-vindo!

P.S.¹: Queria agradecer imensamente a Camila Marques, amiga que entendeu minha essência e com toda sua sensibilidade e talento conseguiu criar minha marca. Minha gratidão também ao Jeferson Viveiros, pela paciência e dedicação em desenvolver esse site (ele acha que se livrou de mim, mas estamos só começando!).

P.S.²: Eu escrevo muito (assim como falo demais)! Prometo tentar me adequar a esse novo formato e fazer dos nossos diálogos o menos enfadonho possível.